24: The Game

24_-_the_game1

Quem acompanhava 24 horas no seu começo via aquilo tudo e logo pensava: e se fizessem um jogo? Com toda a certeza de que não deviam fazer um quiz tipo o de Friends, um pessoal se juntou e aí começaram a armar o que veio a ser 24: The Game, a promessa de ter tudo o que se via na série ao alcance do jogador.

Leia mais deste post

Anúncios

De mês em mês o FTW informa…

… os lançamentos mensais dos melhores games!

3 de fevereiro:

946788_20080924_screen004

Tenchu: Shadow Assassin (Wii)

10 de fevereiro:

932145_20080613_screen002

F.E.A.R. 2: Project Origin (360/PS3/PC)

17 de fevereiro:

943709_20081219_screen002

Street Fighter IV (360/PS3)

942423_20081202_screen001

Dragon Quest V (NDS)

19 de fevereiro:

942166_20090122_screen004

Noby Noby Boy (PS3)

20 de fevereiro:

936498_20090105_screen005

The Sims 3 (PC)

24 de fevereiro:

948957_20081219_screen007

The Godfather II (360/PS3/PC)

946860_20080610_screen001

Star Ocean: The Last Hope (360)

bluedragonplus_000

Blue Dragon Plus (NDS)

954798_20081124_screen004

Legacy Of Ys: Books I & II (NDS)

27 de fevereiro:

928377_20080715_screen007

Killzone 2 (PS3)

Fonte: www.vgreleases.com

Vídeo Análise: The Simpsons (Arcade)

Olá amiguinhos! Venho hoje com a segunda Vídeo Análise, resenhando mais um clássico do arcade: OS SIMPSONS.

Análise: Elifoot 98 (PC)

Game: Elifoot 98
Plataforma: PC
Gênero: Gerenciamento Esportivo
Ano: 1998
Produtora: André Elias e Ricardo Correia

elifootcapa
Elifoot 98 é um jogo de Gerenciamento Esportivo, também conhecido como Manager, mas como eu acho gay dizer que o jogo é do estilo Manager, eu chamo de Gerenciamento Esportivo. Elifoot 98 ficou bastante popular no Brasil porque, além de ser muito mais simples que os outros jogos de Gerenciamento Esportivo da época, era em português. Porém, era em portguês de Portugal, então prepare-se para rir com expressões como “Golo”, “À barra”, “Distrital”, “Equipa” e outras.

golo
Na verdade eu não sei como essa bagaça surgiu. No site oficial até tem uma seção chamada História do Elifoot, mas lá o proxeneta do dono da padaria só lista as versões do jogo e fala que “o Elifoot é vulgarmente apelidado do Pai dos Managers”, o que provavelmente é mentira.

elifoot14
Pois bem, então vamos supor acerca da gênese dessa magnífica série de Gerenciamento Esportivo. André Elias, um padeiro meio viado de Lisboa, nas horas vagas curtia tirar onda de programador. Numa dessas ele acabou criando um jogo chamado Elifoot. O jogo era uma merda e ninguém jogou. Então ele criou o Elifoot II, que era melhorzinho e algumas pessoas jogaram. Mas continuava uma merda. Aí em 1998, ele conheceu seu futuro marido, Ricardo Correia, que o ajudou a criar o Elifoot 98. O jogo ficou tão legal que ele resolveu distribuir pela internet e cobrar pelo registro. Mas aí os brasileiros entraram na jogada, deram um jeito de crackear o jogo e o purtoga tomou no cu.

dsc06344

Digitei André Elias no Google e achei isso. Nem sei se é ele. Mas tem cara de viado.

Enfim, no jogo tu és técnico de um time (da~~aãã~~aããã~), e deves admistrá-lo através de um campeonato e uma copa. O campeonato consiste em 4 divisões de 10 times cada, com jogo ida e volta. Já a copa é um mata-mata entre 64 times com jogos apenas de ida.
A primeira coisa que tens que fazer é escolher os países que queres que façam parte do teu jogo. Em seguida, tu escolhes o nome do teu técnico. Pode ser o teu nome, o nome de algum técnico real, ou até um pseudônimo que te dê sorte, como José da S. Guascaço por exemplo. Na verdade tu pode botar o nome que quiser, sem nenhuma restrição, só falei tudo aquilo pra poder dizer o meu pseudônimo. Aí o jogo vai sortear um time pra ti. Sempre vai ser um time fudido da 4ª divisão, então te fode. Escolherás também a moeda que queres utilizar, reais dólares, escudos, etc. Escolha reais pra poder usar uma dica que vou dar mais pra frente.

bahia1
Agora estarás na tela principal do jogo, tem a tua lista de jogadores e várias coisas pra fazer. A melhor coisa a se fazer agora é vender a maior quantidade de jogadores possível. Não seja cabação a ponto de ficar sem um time completo. Os jogadores são vendidos em LEILÃO, o que pode parecer ridículo, mas na verdade é ridículo mesmo. A melhor forma de vender o jogador é pegando o salário dele, retirando um 0 e acrescendo 50. O resultado deve ser o lance mínimo para o leilão. Isso se estiveres usando reais. Se tiveres sido teimoso e escolhido outra moeda, toma no teu cu seu filho da puta.

petkovic

Aqui, o SÉRVIO Petkovic é RUSSO. Existem outras bizonhices como essa espalhadas pelo jogo.

Feito isso, pegue a maior quantidade possível de empréstimo e compre um atancante (ou “avançado” em pt-pt) fodão. Não se preocupe se o teu time vai ficar endividado a longo prazo, afinal, tu não quer ficar muito tempo nele mesmo, não é?

elifoot12

Não adianta resistir. Pedir empréstimo é inevitável!

Após reforçar seu time, está na hora de finalmente jogar! Escolha sua formação e clique em… jogar! Eu particularmente gosto de usar 4-3-3 em casa e 4-4-2 fora. Faça isso também, seu merda!

442

Reparem que eu fiz a estratégia do atacante fodão. Solskjaer, força 40, no meio da ralé.

Clique em jogar e aparecerá a tela com os resultados dos jogos. Se tu esperava ver o jogo em tempo real, enfie um toblerone no cu e depois coma. No intervalo aparece uma janelinha pra tu fazeres substituições. Podes abrir essa janela também durante o jogo clicando no nome do teu time.

subs
Podes fazer outras coisas também, como aumentar o estádio. Na verdade acho que é só isso mesmo que dá pra fazer a mais.
E o jogo vai seguindo assim, contigo tentando subir de divisões ou então torcendo pra ser chamado para um time melhor. Mas cuidado, porque se tu perder muitos jogos, ou deixar o time endividado, podes tomar uma CHICOTADA PSICOLÓGICA!

elifoot15

O Costinha, obviamente, não aparece no jogo.

O jogo têm uma quantidade ilimitada de temporadas, então tu pode jogar até enjoar de fingir que é técnico. O Dunga ainda não enjoou.

fimdaepoca

No final de cada temporada aparece essa tela. Vejam quem foi o artilheiro ;)

CÚriosidades:

– Algum brasileiro muito do filho da puta resolveu fazer uma versão brasileira do Elifoot, chamada Brasfoot. Ele usa inclusive o mesmo esqueminha safado de cobrar pelo registro. Hoje em dia o Brasfoot é muito melhor e faz muito mais sucesso. Pau no cu do André Elias.

– O Elifoot 98 possui um “Editor de Equipas”, onde você pode fazer babaquices como essa:

editor1

– O nome Elifoot é uma abreviação de Elias Football (na verdade isso foi dedução minha, mas foda-se, deve ser).

– A maioria das funções comentadas no jogo só são disponíveis para quem tem o Registro para Autor (sim, existem níveis de registro, Registro para amigo do autro, Registro para amigo íntimo do autor, por isso que eu digo que esse lusitano é bicha). Por isso, baixe o jogo aqui, que ele já vem registrado para o autor e mande o André Elias tomar no cu mais uma vez.

– Roda no XP. No Vista, não sei.

dunga

Adeeeus Duungaaaaaa, Adeeeus Duungaaaaaa

Gráficos: star-halfstar-grey22star-grey22star-grey22star-grey22
OST: star-grey22star-grey22star-grey22star-grey22star-grey22
Jogabilidade: star-color23star-grey22star-grey22star-grey22star-grey22
Gameplay: star-color23star-color23star-color23star-color23star-grey22
Diversão: star-color23star-color23star-color23star-color23star-color23
Geral: star-color3star-color3star-color3star-color3star-grey22
Colocar mais um quesito aqui em baixo cheio de estrelinha é coisa de puto

Análise: Vice: Project Doom (NES)

Game: VICE: Project Doom
Plataforma: NES
Gênero: Ação
Ano: 1991
Produtora: American Sammy

Starring Mel Gibson

Starring Mel Gibson

Conheça um dos melhores jogos de ação do Nintendinho. VICE Project Doom é um excelente jogo com uma história digna de Hollywood, com ação, perseguição, um inimigo misterioso, uma trama com traições e novas descobertas a cada fase passada.

A tela titulo só aparece depois de alguns minutos de filminho

A tela título só aparece depois de alguns minutos de filminho

A história do game (de acordo com o manual) conta que uma horda de aliens caiu na Terra a séculos atrás e sobrevivem no planeta graças a um gel que eles produzem para servir como alimento. Numa tentativa de se envolver com os humanos, os alienígenas começaram a criar clones de humanos. Aí entra uma empresa chamada BEDA, responsável por desenvolver eletrônicos e tecnologia mas, por trás, responsável por manter a vida dos aliens no planeta, produzindo o tal gel.

O engraçadinho da BEDA

O engraçadinho da BEDA

O gel alien produz um resultado diferente nos humanos e passou a ser muito procurado pelos ricaços de todo mundo, e a BEDA passou a explorar isso para lucrar, mas um dos efeitos colaterais do gel em humanos é a morte. O policial Quinn Hart junto com seu parceiro Detetive Reese resolvem investigar os locais de produção do tal gel, mas Reese desaparece e é declarado morto. Quinn fica sozinho nessa aventura e deve desvendar toda verdade usando apenas suas habilidades.

Hart, após detonar um maniaco nas estradas. Mad Max style.

Hart, após detonar um maníaco nas estradas. Mad Max style.

O jogo começa numa auto-estrada, com você controlando um carro em alta velocidade, equipado com lasers, no estilo Spy Hunter. Nesse estágio introdutório à trama, é onde Hart descobre que tem algo estranho acontecendo, e esse é um dos três tipos diferentes de jogabilidade do game.

Hart mandando bala num caminhão de lixo

Hart, mandando bala num caminhão de lixo

O segundo estágio vai surpreender os virgens. Hart aparece em side-scroll em cima de vigas de um edificio em construção e armado com três armas, um chicote laser (?), uma magnun .44 (??) e granadas, aí o negócio começa a ficar bom, com musiquinha envolvente, um controle mais que preciso (um dos melhores controles em jogos side-scroll do NES) e diversos inimigos e armadilhas para te pegar.

Hart experimentando seu CHICOTE LASER num mendigo

Hart, experimentando seu CHICOTE LASER num mendigo

A jogabilidade é fantástica aqui, apertando SELECT você troca de arma, e isso não é problema nenhum, mesmo com toda velocidade do game e os inimigos diferentes que aparecem a cada esquina. Cada arma tem suas vantagens e desvantagens, o chicote é infinito e forte, mas o alcance é curtíssimo, a pistola tem um alcance mediano e limite de balas, a granada vai mais longe e, consequentemente, tem menos poder.

Hart, experimentando a Magnum num sonâmbulo e a granada num gnomo gigante

Hart, experimentando a Magnum num sonâmbulo e a granada num gnomo gigante

Mais adiante no jogo você vai se deparar com um terceiro modo de jogo, um estilo “primeira pessoa”, onde você controla uma mira pela tela e vai detonando os inimigos no melhor estilo Operation Wolf, coletando balas e moedas que eles carregam nos bolsos. Esse modo é o mais entendiantes e totalmente desnecessário na minha opnião.

Hart, atirando nos inimigos em uma das enfadonhas fases de tiro

Hart, atirando nos inimigos em uma das enfadonhas fases de tiro

Colcluindo, a soma de bons gráficos, excelente jogabilidade, grande variedade de fases e inimigos e uma história envolvente só pode resultar num jogo BOM. Vice é realmente uma pérola do Nintendinho e merece ser jogado com gosto. Não se preocupe com a dificuldade, esse jogo não é tão fácil, a primeira fase engana.

Sinta a galeria, Vice Project Doom até o final.

Gráficos star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
OST star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
Jogabilidade star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
Gameplay star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
Diversão star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
Geral star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1

The King of Fighters 98 – Ultimate Match

kof98

10 anos se passaram desde que King Of Fighters 98 apareceu e até recentemente o único jeito de jogá-lo no PS2 era através de uma coletânea da saga Orochi, isso se não for recorrer a versão PS1 que é uma verdadeira lástima. A demora foi um preço baixo por esta reedição de luxo de um dos melhores capítulos da saga, tanta coisa nova que merece mesmo uma jogada que é ver pra crer.

Leia mais deste post

Análise: Skullmonkeys (Playstation)

Olá amigos bit boylescos e leitores do Fuck the wiiiiii FTW, hoje falarei para vocês sobre esse jogo muy bueno, Skullmonkeys (no Japão teve o nome de Klaymen Klaymen 2).

skullmonkeys

Criado pelo animador Doug TenNapel e distribuído pela Dreamworks, Skullmonkeys é na verdade a continuação de The Neverhood, um jogo de adveture/click para PC. Este ultimo não fez tanto sucesso quanto a sua continuação (pelo menos não por essas bandas).

the_neverhood

Primeiro game exclusivo para PC

A historia do jogo continua logo após o ultimo chefão, Klogg ser banido de The Neverhood no fim do primeiro game. No entanto, agora as terrinhas do nosso ilustre protagonista foram invadidas por um bando de macacos caveirosos, porém burros como portas, diga-se de passagem.

4x41

snapshots

Controlando o personagem  chamado Klaymen (que eu juro que não sei o que é, parece uma fusão do earthworm jim com uma maçã) você ira atravessar fases no bom e velho modo plataforma, usando o velho e bom pulo na cabeça como arma principal. Alem disso existem outros itens e habilidades que te ajudam durante o jogo, como se projetar com a ajuda de um gás verde, pássaros teleguiados explosivos, tiros e vários outros como o grandessíssimo “limpa tela” universe enema.

enema

UNIVERSE ENEMAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

sm4

@@@@@@@@@@@

Atravessando 25 leveis (ou trapaceando usando password pra pular as fases) você enfrentará diversos inimigos, a maioria hilários. Existem também varias fazes bônus e secretas. E Sempre rola um video engraçado entre as fazes.

chefe-bizarro

Chefe ultra bizaaro... quando eu era mais novo achava que era o bob marley.

O gráfico do jogo é bem estiloso, feito de massinha (alguém ai lembra de PINGU o pingüim??)Não sei vocês , mas a sensação ao jogar me faz lembrar muito as animações de Tim Burton (Noiva cadáver , Jack etc…)

criador1

Make in off :P

Desenho de massinha só me lembra pingu!

nosso querido pingu !!

A trilha sonora se encaixa perfeitamente com o ambiente, ao contrario da maioria dos jogos de plataforma que usa e abusa de musicas animadas e vibrantes, Skullmonkeys tem uma trilha sonora que varia de musicas estilo pop até ao jazz, sempre com uma boa percussão ao fundo, bem nostálgico, diga-se de passagem. Mas ao contrario do que possa imaginar, a música cria um ambiente perfeito pro jogo. O CD com a trilha sonora do game é bastante vendido no exterior até os dias de hoje.

sm3

A famosa cena do feijão

O jogo possui um Três finais. Você quer saber como cada final termina?

Então você tem as seguintes opções:

1- Zerar o jogo

2- Assistir no youtube

3- Esperar passar na globo (Há, duvido)

Um video curto Gameplay:

Aqui vários videos com a trilha sonora do game e as animações (lá pelos 5:00 fica otimo)

Gráficos star-color1star-color1star-color1star-color1star-half
OST star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
Jogabilidade star-color1star-color1star-color1star-color1star-grey3
Gameplay star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
Diversão star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1
Nonsensismo star-color1star-color1star-color1star-color1star-color1