Análise: Duck Hunt (NES) + Nintendo Zapper

The duck season is open!

The duck season is open!

Game: Duck Hunt
Plataforma: NES
Gênero: Shooting Gallery
Ano: 1984
Produtora: Nintendo

Duck Hunt foi um dos primeiros jogos a usar a Nintendo Zapper, a pistola de luz do console.

O jogo é simples, e quando eu digo que é simples, é porque é SIMPLES mesmo. Um jogo totalmente casual e, mais uma vez, simples.

Nesse game você precisa simplesmente mirar sua pistola de luz na tela e atirar nos patos que voam no cenário. Simples.

Existem três modos de jogo, chamados convencionalmente de Game A, Game B e Game C. No primeiro modo, aparece 1 pato por vez na tela e você tem três tiros para derrubá-lo. Matando 10 deles avança-se para o próximo nível, onde a única coisa que muda é a velocidade dos bichos e a sua movimentação pela tela fica mais aleatória.

Jogando no modo B, você tem 2 patos por vez para matar, com os mesmos 3 tiros. O Game C é uma galeria de tiro, daquelas que são lançados discos ao ar e você precisa destruí-los antes que eles desapareçam no horizonte.

Game B, matando PATOS - e o Game C, para pacifistas.

Game B, matando PATOS - e o Game C, para vegetarianos.

Duck Hunt foi feito para qualquer pessoa jogar. Até a sua vozinha pode se divertir atirando nos patos ou, se ela tiver parte com a Sociedade Protetora dos Animais ou for vegetariana que não come carne porque patos são seres vivos (e os legumes não),  pode atirar em disquinhos numa bela paisagem com árvores desproporcionais.

Como se pode ver, os gráficos são limpos e grandes, nem precisa colar a pistola na tela da TV para conseguir um resultado satisfatório, e a música segue o padrão clássico dos jogos da Nintendo da época, ou seja, é boa.

Assim que o jogo começa, nos modos A ou B, você vê uma animação do cachorro farejando pelo mato, até ele descobrir algo e saltar feliz para atrás dos matos, daí os patos começam a voar e sua habilidade com a pistola é colocada em prova. Assim que um pato é atingido e cai de volta no mato, o cachorro aparece feliz segurando o cadáver.

Seu fiel cão te congratula.

Seu fiel cão te congratula, mas depois...

É sempre bom avisar que você terá MUITA raiva desse cachorro nos níveis mais avançados, porque se você falhar em acertar o pato com os três tiros, ele vai rir da sua cara, e inevitavelmente você vai tentar atirar nele, várias vezes, mas infelizmente isso não é possível nessa versão caseira do jogo. Existe uma lenda que em uma versão para arcade é possível atingir o cão em uma das rodadas bônus, isso seria bem legal.

Apesar de que apenas uma Zapper pode ser plugada no console (o segundo slot deve ter um joypad, para selecionar os modos de jogo), é possível um segundo jogador intervir no game, mudando a direção do voo dos patos com o direcional.

O maldito cão diverte-se com sua desgraça.

...o maldito diverte-se com sua desgraça.

O grande problema com Duck Hunt é que, como se pode imaginar, é repetitivo. A única coisa que você faz é, atirar nos patos, ver animação do cachorro, atirar em patos, ter raiva do cachorro, atirar em patos, ouvir a musiquinha, e assim vai por todo game. Provavelmente é um jogo sem fim, não conheço ninguem que tenha relatado ter terminado esse jogo de alguma forma, ou sequer tenha conseguido jogar mais de 10 minutos, mas não deixa de ser um bom passatempo.

Gráficos: star-color22star-color22star-grey21star-grey21star-grey21
OST: star-color22star-color22star-grey21star-grey21star-grey21
Jogabilidade: star-color22star-color22star-color22star-grey21star-grey21
Gameplay: star-color22star-color22star-color22star-grey21star-grey21
Diversão: star-color22star-color22star-color22star-grey21star-grey21
Geral:star-color22star-color22star-color22star-grey21star-grey21
Simplicidade: star-color22star-color22star-color22star-color22star-color22

__________

NES ZAPPER / FAMICOM LIGHT GUN

A “pistola” do Nintendinho foi lançada em 1984 no Japão como acessório vendido separadamente. A primeira versão era um revolver bem realista, feito para o game “Wild Gunman”, mas quando foi mandado para as Américas, o negócio não ficou muito interessante e o revolver foi banido, sendo substituído por uma pistola futurista alaranjada.

À esquerda, a Zapper americana, praticamente uma pistola Power Ranger - à direita, o intimindante revolver "velho oeste" do Japão

À esquerda, a Zapper americana, praticamente uma pistola Power Ranger - à direita, o intimidante revolver "velho oeste" do Japão

As primeiras Zappers gringas eram totalmente cinza, mas depois foram modificadas para esse laranja neon, para enfatizar ainda mais que era apenas um revolver de brinquedo, e não uma arma de verdade. Algumas edições especiais do NES vinham com a Zapper e um cartucho 2 em 1 com os games Duck Hunt e Super Mario Bros.

Wild Gunman, bem mais interessante do que caçar patos.

Wild Gunman, bem mais interessante do que caçar patos.

A pistola ainda recebeu um acessório (sim, um acessório que recebia outro acessório), um espécie de cano com uma lente e algumas marcações de mira que era acoplado em cima da light gun, para fins óbvios. Esse acessório foi chamado Quick Shot e é muito raro de encontrar, vale uma grana alta hoje em dia.

QuickShot, ou Zapper Scope. Para caçar patos "sniper style".

QuickShot, ou Zapper Scope. Para caçar patos "sniper style".

Mas, como funciona essa coisa? Simples.

Quando o gatilho é puxado, a tela do game é totalmente apagada durante 1 frame (ou seja, 1/30 de segundo) e no frame seguinte desenha um quadrado branco sobre o alvo que supostamente seria atingido. Um sensor na Zapper detecta essa rápida mudança de cor e manda o sinal para o console para reconhecer o acerto ou erro, ou seja, se o “tiro” atinmgiu uma área branca ou não. Esse pico de mudança na intensidade da cor indicava um acerto ou erro no game.

Por isso era bem fácil trapacear no game, aumentando o brilho da TV ou simplesmente mirando numa fonte de luz clara, atirar para a janela funcionava na maioria das vezes. Outra forma de trapacear era usar uma lupa na frente da pistola, fazendo o “quadradinho” de acerto ficar bem maior e tornando o erro praticamente impossível.

Agora, o mais legal dessa pistola era o barulhinho que o gatilho fazia, uma espécia de “PA-KHING” bem legal.

Sobre Matt
Em 2003 inventou de criar um fotolog de mini-resenhas de arcade (/pushstart) e acabou conhecendo um bando de problemáticos que gerou uma zine (OGZ), um blog de resnhas (FTW) e agora a fusão dos dois (OGZFTW).

14 Responses to Análise: Duck Hunt (NES) + Nintendo Zapper

  1. Lui disse:

    “…e a música segue o padrão clássico dos jogos da Nintendo da época, ou seja, é boa.”
    Orra, que nintendista, a maioria das músicas 8-bit eram de insuportáveis pra baixo.

  2. Matt disse:

    Principalmente músicas do Super Mario Bros, Metroid, Zelda, Baloon Fight, Bubble Bobble, Megaman, Alex Kidd… musicas 8 bits insuportáveis que nenhuma banda de VG Music toca hoje… :(

  3. Nirvaninha disse:

    As musicas eram legais sim :( ao menos eu gostava. Eu vivia jogando esses jogos tanto o gunman quanto o duck hunt…nao tinha ideia que se podia trapacear neles… Odeio aquele cachorro ¬¬

  4. VIDEL disse:

    muito booooom, cachorro FDP!!!!
    em relação as músicas…. nossa tem hora que é um pé no saco…. parece que a musica fica extremamente aguda de uma hora pra outra, mas são sonoridades bem marcantes! mas do nivel agradavel eu acho que só da era 16bits pra cima, (As da 8 bits só raras exceções)

  5. Matt é MUITO entendido do assunto, só o que tem é DJ e game bands tocando musica megaman e castlevania do nes, inclusive a banda nacional 8 bit instrumental fez um disco inteiro só com musicas do megaman 2.

    Em termos de trilha sonora Capcom e Konami dominavam quanto a explorar o canal de som do NES, Castlevania 3 ta entre as melhores trilhas sonoras ja produzidas, assim como Megaman 3.

  6. vale lembrar que o yuzo koshiro vez ou outra faz as noites do 8 bits na sua casa de shows, uma boate q vara a madrugada só no game music

  7. Israel disse:

    Música boa é Torture Squad, Symphony X, Iron Maiden.

    Iron Maiden foi eleita a melhor banda do Japão.

    Como podem achar músicas 8-bits melhor que metal, não entendem nada de música?

  8. colimar disse:

    Eu tive esse no meu velho Dynavision 2, e ele funcionava de um jeito levemente diferente: a pistola ia no controle 2 e o 1 podia ficar sem nada, mas acabava que era preciso ter a pontaria boa pra acertar o cursor quando ele marcava o modo se o jogador não queria ir até o videogame apertar o start e o select. Quanto ao cachorro, até a minha mãe queria acertar um balaço nele. Boa análise essa, crássico das antigas.

  9. Max Carnage disse:

    Tanto esse como o Wild Gunman só joguei no WarioWare :(

  10. Já vi esse Wild Gunman no filme “De Volta Para o Futuro II” =D

    E Thiago, fala tudo de uma vez, porra.

  11. Matt disse:

    Eu fui conhecer o caça-patos bem depois do Wild Gunman, jogava direto o “joguinho do duelo velho-oeste” na casa de um amigo que tinha Dynavsion 2 ^^

  12. Tsunami disse:

    Pra efeito de curiosidade, o revolver velho oeste é uma réplica de uma Colt Single Action Army, que por sua vez é a ”signature gun” do Revolver Ocelot, da serie Metal Gear Solid.

  13. Alexandre disse:

    Já tive um jogo parecido com esse no meu Dynavision… Mas era diferente, era um cenário com neve, você atirava em dirigíveis e não tinha o cachorro… Acho que o nome era “Snowfield Shot”.

  14. fbreve disse:

    Eu joguei mais que 10 minutos, na casa do meu primo porque eu não tinha NES, cheguei lá pela fase 80, 90 e pouco, longe da TV e sem trapacear :P

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: