Rock Band Unplugged

A onda dos jogos musicais foi pra todos os lados e chegou até nos portáteis. Diferente de títulos anteriores como Beatmania e Pop n Music, porém, os instrumentos-acessórios são fundamentais pra que o jogo tenha alguma graça. Guitar Hero no Nintendo DS teve o seu e foi anunciado que o PSP ia receber um Rock Band, mas e agora? Instrumentos em miniatura?
Leia mais deste post

Anúncios

WTF: FORRÓ HERO…. O.o

Conversando com minha amiga ela me mostra essa coisa…. fiquei até sem palavras…. olhem por vocês mesmo! Valeu Fêh pela foto!

EPIC FAIL?

Games OLDbscuros: Adventures of Little Ralf (PSX)

Plataforma: Playstation
Gênero: Aventura
Jogadores: 1

pelado e fudido, que destino...Um dos raríssimos jogos clássicos 2D de plataforma que pintaram no PSX, Adventures of Little Ralf conta a história de Ralf, um garoto que vê de perto sua vila ser destruída por um demonho.
Como se não bastasse, sua mãe, tentando salvá-lo, acaba sendo raptada pelo demonho, que foge logo em seguida.
Um lendário espírito preso em uma espada aparece e concede à Ralf os poderes pra ele destruir o mal e salvar sua mãe.

 

Plataformas por todos os lados

Adventures of Little Ralf resume e exemplifica muito bem o que eram os clássicos jogos de plataforma da saudosa época do SNES e Mega Drive.
Controlando o herói, o jogador tem apenas 2 botões: ataque e salto, sendo possível carregar o ataque para desferir um golpe mais forte.
Itens estão espalhados por todas as fases, principalmente frutas, que concedem pontos. Atingindo uma certa quantidade de pontos, o jogador ganha vidas.
O game tem continues infinitos e certos checkpoints nas fases.
Alguns itens concedem energia e uma espada melhor, que inclusive atira bolas de fogo para ataques à distância.

Fases variadas

upgrades da espada por todos os cantos

As fases desse jogo são sempre temáticas e lineares: Ralf não para nem um segundo, os loadings entre as fases estão disfarçados, mas nada que comprometa a jogabilidade, basta ligar e jogar sem parar.
A trajetória do herói passa por cidades, esgotos, um deserto, pirâmides, florestas, enfim, tudo que existe nos clássicos games de aventura dos 16 bits.
Algumas fases tem passagens secretas e demandam tempo para serem completadas.
Dependendo da pontuação e do tempo gasto, pode-se quebrar recordes e ganhar mais vidas.

Colírio pros olhos

Adventures of Little Ralf tem gráficos belíssimos, usando e abusando dos efeitos que o PSX podia gerar na época.
Em certas ocasiões, lembra muito os efeitos de Alundra, outro clássico pro console.
Magias e ataques mais fortes possuem efeitos de transparência, assim como o fogo.
Os inimigos são bem caprichados e existem aos montes, todos bem posicionados pra atrapalhar a vida do jogador.
As músicas são belíssimas, coisa rara de se ver hoje em dia. Cada uma delas foi muito bem adaptada na fase e passa muita emoção na mesma.

Defeitos

Nem tudo são flores aqui, mas podem ter certeza: o jogo compensa.
A dificuldade é bem elevada nas fases adiantadas, e, pros que gostam de coletar tudo na fase, o desafio será grande.
Alguns itens estão muito bem escondidos em plataformas altíssimas.
Outro porém são os pulos de Ralf, bastante curtos na maioria das vezes.
Um pulo duplo aqui seria excelente.

Tirando esses pequenos poréns, o jogo brilha.
Gráficos, músicas, efeitos sonoros, carisma e o ar nostálgico valem muito a pena.
Quem sabe um dia esses grandes jogos 2D não voltem a imperar.

Pontos Positivos:
– gráficos e efeitos belíssimos;
– trilha sonora de primeira;
– nostalgia pura, evidenciando a qualidade dos jogos 2D como nenhum outro na época;

Pontos Negativos:
– pulos às vezes curtos demais, mortes desnecessárias;
– pouca variedade de armas;
– dificuldade alta nas fases adiantadas podem afastar os jogadores mais casuais;

NOTA FINAL: 9

Games OLDbscuros: Violinist of Hameln (SNES)

Estreando a nova seção aqui no FTW, vou trazer pra vocês análises daqueles jogos bacaninhas mas pouco conhecidos, espero que gostem!

Game: Violinist of Hamelin (ハーメルンのバイオリン弾き, Hamerun no Baiorin Hiki)
Plataforma:  Super Nintendo (SNES)
Gênero:  Aventura
Lançamento:  1995
Produtora: Enix

O jogo é baseado no anime/manga de mesmo nome, mas ao contrario de vários games que você precisa conhecer o anime/manga ou saber japonês pro jogo se tornar mais interessante, esse game consegue alegrar até quem nem sabe da existencia da sua versão televisiva.

Leia mais deste post

Traduções Tenebrosas: A Boy and His Blob (NES)

Game: Um Menino e seu Blob
Plataforma: Sistema Nintendo de Entretenimento
Gênero: Plataforma de visão lateral
Lançamento: 1989
Produtora: Absolute

Tenebrosamente Traduzido de: Flying Omelete

A Boy and His Blob pode muito bem ter sido uma das primeira “caça ao tesouro” de jogos. Nele, você joga como um garoto anônimo que tem a maioria dos companheiros incomum – uma forma de mudança de BLOB que adora balinhas. Sua missão é alimentar esta jellybeans blob, de modo que ele vai se transformar em diferentes formas para ajudá-lo a superar vários obstáculos The Game’s. A Boy and His Blob é parcialmente uma experiência de jogo original e interessante, e, parcialmente, um experimento em uma idéia.

Leia mais deste post

Análise: Brave Fencer Musashi (playstation)

Game: Brave Fencer Musashi
Plataforma:  Playstation
Gênero:  Action RPG
Lançamento:  1998
Produtora: SQUARE

Brave_Fencer_Musashi

Eis um jogo extremamente bem feito, uma verdadeira obra prima da Squaresoft feita para o playstation!

Leia mais deste post

Traduções Tenebrosas: Black Belt (SMS)

Game: Faixa Preta
Plataforma: Sistema Mestre
Gênero: Briga de Rua
Lançamento: 1986
Produtora: Sega

Tenebrosamente Traduzido de: GameFAQs

Introdução

Este jogo foi originalmente Hokuto no Ken (Fist of the North Star) para SMS. Por alguma estranha razão eles tiveram que trazê-lo aqui. Esse foi o maior erro da história dos jogos de sempre.

Leia mais deste post