Análise: Mr Bones (Saturn)

Game: Mr Bones
Plataforma: Sega Saturn
Ano: 1996
Produtora: SEGA

capinhas compridas do Saturno!

Eae amigos bitboylescos, dei uma sumida mas to de volta (vida de concurseiro, sabe como eh né?). Trazendo mais um jogo oldbscuro ou não (velho e cheio de pó pra vocês ) Se você não conhece, nunca ouviu falar, nem sabia que existia… sinto lhe informar que sua vida passou sem esse puta jogaço!

Leia mais deste post

FTW Challenge: Street Smart (Mega Drive)

Status: WIN!


Taqueopariu! Entrar atrasado no Challenge é pedir pra tomar no cu, me arrumaram uma merda sem tamanho!

Rua Esperta é um jogo velho pra caralho da Snk que uma softhouse chamada TRECO (isso mesmo, TRECO) converteu pra Mega Drive. Como não joguei a versão original, não posso comparar, mas duvido que seja muito melhor que essa merda, então vamos lá.

Leia mais deste post

Desafio FTW – Pit Fighter

Status: FAIL

Pit Fighter, ao contrário de alguns membros do blog, é um jogo que sempre gostei de jogar. Seja pela dificuldade, pelas brigas ou pela sujeira que é o jogo, sempre apreciei a arte de CHUTAR A CARA de vagabundos em uma roda de briga cercada por pessoas normais. Então, por sorte, justo esse game caiu no meu colo nesse novo desafio. O único porém é que eu…. nunca terminei. Sério, sempre chego na dupla de bebezões e ali mesmo sou enterrado vivo. Mas vamos ver como vou me sair nesse desafio, chega de enrolação.

Leia mais deste post

Análise: Chip ‘n Dale: Rescue Rangers (NES)

Em uma época em que o Nintendinho dominava geral, os jogos da Disney feitos pela Capcom eram garantia de coisa boa. Não foi diferente com TICO & TECO: SOLDADOS RESGATADORES.

A história do game segue o clássico enredo de salvar a donzela em perigo, atividade comum para os heróis dos 8 bits. A ratinha Gadget foi sequestrada pelo vilão GATO GORDO e sobrou para o resto do grupo se virar para resgatá-la.

Leia mais deste post

Análise – FINAL FANTASY X-2 (PS 2)

Bom, depois de um longo tempo sem postar por aqui, venho aqui falar em nome deste ótimo game injustiçado do ps2. Muita gente torceu o nariz pra esta sequência direta (o primeiro jogo da série a sê-lo) só pelo fato de você jogar com as 3 garotas protagonistas da trama. A GRAÇA TÁ JUSTAMENTE NISSO, porra!! Claro que tudo que eu comentar aqui só faz sentido se você jogou FF X (se vc não jogou, vá jogar, zere e depois venha ler o resto do artigo pra não ficar com cara de cu)…

Três menininhas do amor...!

Dois anos após a batalha com Sin e a desparecimento da Fayth, e com ela, de Tidus, Yuna se vê numa batalha pessoal para descobrir o paradeiro do seu amado, enquanto lida com o fardo de ter sido responsável pela atual paz de sua terra. Como uma ex-High-summoner, os Aeons não estão mais à disposição, e agora ela é uma Caçadora de Esferas, junto com sua fiel escudeira Rikku, e a misteriosa Paine. Tais esferas escondem informações preciosas sobre eventos que aconteceram no passado do planeta, inclusive sobre o possível paradeiro de Tidus. Ela se junta aos Gullwings para procurar por estas esferas e daí inicia uma nova jornada…

A gatíssima e poderosa Paine

A cômica e espontânea Rikku

A sensível e apaixonante Yuna

Encontrando as tais esferas, Yuna começa a descobrir mais sobre o passado do planeta, e fica sabendo que espíritos antigos com problemas inacabados estão causando problemas para a terra, desde as disputas entre a Youth League e a New Yevon, até o aparecimento de monstros extremamente fortes. Com a ajuda da tripulação da nave Celsius, as Gullwings buscam as soluções para os mistérios antigos e se metem nas mais INCRÍVEIS confusões (de fato!), enquanto tentam descobrir mais sobre Shuyin e Lenne, duas pessoas cujos destinos estão intimamente relacionados ao destino de todo o mundo onde vivem…

Uma das cenas das esferas: parecem Tidus e Yuna... mas serão mesmo eles dois?

Levada a crer que Tidus ainda está vivo por causa da aparição de Shuyin na esfera que a fez se tornar uma caçadora de esferas, Yuna começa a descobrir as implicações de sua busca… e como ela pode ajudar a pôr ordem na bagunça que lenta, porém ineroxavelmente, toma forma em todos os cantos. Daí é missão que não acaba mais! SIDEQUESTS FTW! o/

Você controla Yuna nas navegações pelos locais que visita. Encontros aleatórios são necessários pra você se fortalecer pra se manter no game, por isso, nada de correr, menininha. =P

Você controla Yuna nas navegações pelos locais que visita. Encontros aleatórios são necessários pra você se fortalecer pra se manter no game, por isso, nada de correr, menininha. =P

É aquela estória: você joga com as 3 meninas no time. Mas nem por isso é um game de menininha. Muito pelo contrário: é tiro, porrada, espadada, cacetada pra todo lado. Procurando pelas esferas, você encontra as Dresspheres, que são basicamente uniformes irados com jobs (que você pode upar e masterizar, ganhando novas habilidades e golpes, etc.), ao estilo do saudoso FF V). Fora que o estilo turn-based volta em grande estilo, depois do sistema “estranho” que FF X inaugurou, o que deixa o game com um feel bem natural para os fãs dos games da Square.

As 3 garotas descem a porrada OLD SCHOOL mesmo. As animações são SOBERBAS e não há delay de comandos.

 O bacana das Dresspheres, além de vc poder conferir as 3 gatas trocando de roupa em poses bastante supimpas (FAP³), é que você pode usá-las em cartas, denominadas Garment grids; as associações entre as dresspheres usadas podem conferir atributos especiais às garotas e ajudar bastante nos combates. Claro que equipamentos, armas, itens e acessórios ainda são fundamentais para sobreviver. Você pode customizar as meninas como bem lhe aprouver, com jobs iguais ou não, modificando seus atributos e mudando as formações de combate. O jogo tem até um jogo dentro dele, o Sphere Break (lembram das malditas cartas de FFVIII e FFIX? pois é, tem algo bem pior aueh). E você precisa aprender a jogá-lo pra concluir algumas missões e pegar itens fodas (como a Dressphere mais sexy do game: Lady Luck).

Você ganha os garment grids em Missões, como presente de alguns personagens do jogo e em baús escondidos... saber usá-los pode ser a diferença entre a vida e a morte.

As localidades do jogo são basicamente as mesmas de FFX; se vc jogou o primeiro, saberá se locomover com facilidade por aqui. Calm Lands, Zanarkand, Bevelle (que esconde uma dungeon com 100 andares, onde estão os inimigos mais poderosos do game…), Besaid Island e todos os outros lugares importantes estão aqui. Em cada local do mapa que você acessa, deve realizar missões obrigatórias e pode encontrar também missões paralelas que podem te beneficiar com recompensas bacanudas como Garment grids, dresspheres, armas, armaduras e etc. É importante conversar com todos os NPC’s que puder para liberar as missões opcionais… o game tem 3 finais possíveis, e você vai precisar pelo menos jogá-lo DUAS VEZES para assistir ao final REAL.

Os bosses continuam sendo desafios dos ridiculamente fáceis aos estupidamente invencíveis.

À medida que você joga, você acompanha CG’s e cenas magníficas das garotas e do desenrolar dos acontecimentos: como todo bom rpg, há espaço pra drama, comédia, amor e tiração de sarro. As dublagens são excelentes, com legendas bem editadas. Em suma, é um game que pode agradar bastante os fãs da série, SE ELES DEIXAREM DE FRESCURA E PEGAREM A PORRA DO JOGO PRA CURTIR. Tem umas músicas e dancinhas bacanas, como mulher protagonista do jogo, ela tem todo o direito. Este jogo teve uma resposta tão boa no Japão que teve uma edição especial, com direitos a arena de monstros, editor de missões e algumas missões especiais… é o FF-X INTERNATIONAL +LAST MISSION, infelizmente só disponivel em japonga.

tipico de Japa lançar um game foda e guardar a cereja do bolo só pra eles ¬¬

No mais, é um jogo digníssimo da Square e merece ser esquadrinhado por qualquer fã de rpg que se preze. Vale a pena conferir todas as cenas e acompanhar a bela história da saga da ex-summoner em busca de um amor perdido e das implicações que esta busca traz pra o planeta onde ela vive. A trilha sonora do jogo é espetacular… com canções não-repetitivas e melodicamente agradáveis, que mantêm a atmosfera do que acontece com as personagens e mantém o plêier ligado no que acontece na tela. O roteiro é muito bem escrito, apesar de alguns clichês típicos de rpgs da Square, mas que são necessários pro desenrolar da trama.

Em suma, game recomendadíssimo!

Yuna é cantora de pop, WTF DUDE?

GRÁFICOS: ****-

TRILHA SONORA: *****

JOGABILIDADE: ****-

REPLAYBILITY: ****-

DIFICULDADE: ****-

FTW Challenge: Dead Dance (SNES)

Status: WIN!

Me dei bem nesse challenge, caiu pra mim o game que o Cosmão escolheu, um obscuro fighting da Jaleco de 1993, o qual eu POSSUÍA o cart, na época do SNES ligado no canal 3 da TV de 14 polegadas no quarto.

o jogo ganhou uma versão americana, que os gringos estupidamente batizaram com o nome idiota de “TUFF E NUFF”, tentando inserir uma espécie de gíria jovial supimpa e descolada no cart pra ver se atraía mais compradores. A capa é ridícula, sem sentido e não tem nada a ver com o game em si. Compare:

HEY PUNK! ARE YOU TUFF E NUFF? – Sério, esse é o nome do jogo?

A tela título do do gringo convida você a desligar o console

DEAD DANCE – ou como diria o Yasu: DANÇA MORTA – é um jogo de luta, certamente criado pegando carona no Street Fighter 2, com uma história bastante clichè. A onda é que no ano 2151 (exatamente), a Terra está devastada como sempre e o único emprego disponível é de lutador de rua, para sobreviver nessa realidade, tem que saber lutar. No meio da poeira, um cara chamado JADE, ou JADO se você é dos States, arruma uma armadura azul que deixa ele cheio de poderes e SPECIAL MOVES. Usando seu power, ele EDIFICA uma torre, contrata seis capangas, e se auto-intitula “The Fighting King” (não confunda com algum jogo de luta da SNK, por favor).

Os diálogos entre as lutas, os epílogos com imagens e o SANGUE na cara dos lutadores foram retirados da versão gringa, por isso fique com a japonesa, já que o sangue no rosto é uma adição muito legal, e Dead Dance tem historinha no final. As duas versões tem REPLAY controlável depois da luta, outra idéia interessante, principalmente se você quer irritar seu irmãozinho que vive perdendo pra você.

Leia mais deste post

Challenge: Shaq Fu (SNES)

Status: WIN

Primeiramente gostaria de agradecer ao sistema de seleção por ter jogado pra mim esta bucha. Valeu champz, vê se dá próxima vez me manda uma carta-bomba com antrax e tudo.

Leia mais deste post