FTW Challenge: Wonderboy III: Monster Lair (Mega Drive)

Ok, o prazo para entregar o challenge foi esticado até a próxima sexta, mas eu realmente não vou aguentar jogar mais isso… que jogo mais ARGH.

FTW Challenge “Plataformas Obscuros”

Game: Wonderboy III: Monster Lair (Mega Drive)
Genre: Action > Shooter > Scrolling
SEGA, 1990

Challenge Status: FAILURE

Primeiro… Você, em sã consciência e sem álcool no sangue, jogaria algo com essa capa?

Olha isso… Tem um garoto meio que acima do peso saltando por cima de uma garota (?) de cabelo vermelho estilo Marge Simpson, espetando uma abelha que foi cortada da arte e parece também que ele pretende atacar aquele monstro com uma slot machine na testa… GO FIGURE.

Enfim, meu amigo Diego Batera escolheu essa coisa bonita e no sorteio caiu pra mim, muito obrigado, Drummie, eu juro que tentei terminar, mas… Apertemos START.

Nussa… olha essa tela de abertura… Coisa mais… Grotesca e ilegível. Enfim, tem uma tela de opções que te deixa escolher o nível de dificuldade (fui no Average, o tradicional modo “Normal”), a quantidade de vidas e continues, além do sempre presente Sound Test. Iniciando o jogo propriamente dito, me vem a opção de ONE OR TWO PLAYERS START… Isso mesmo, você pode jogar isso com um amiguinho e dividir seu sofrimento com alguem.

Daí você aperta Start mais uma vez e é jogado nessa tela aí e percebe que a tela já está andando sozinha… Sim, aqui a tela está constantemente em scroll lateral, te empurrando pra frente em primeira marcha. Percebi logo uma mórbida semelhança com Adventure Island do NES, com a diferença que aquele era bom.

Testei os botões e descobri que o A e o C servem para saltar, o B serve para atirar, use com sabedoria. Aqueles tabletes verdes em cima serve como um timer para sua morte, durante a fase você deve coletar frutinhas e guloseimas randômicas para repor esses tabletes coloridos de tempo.

Durante o jogo percebi que dá pra “forçar” a tela mover-se mais rápido, basta caminhar com o herói de pernas curtas até o lado direito da tela e ir “empurrando” a tela, a fase vai caminhar depressa e – logicamente – os inimigos vão aparecer mais próximos, muitas vezes te pegando de surpresa, e esse foi o principal motivo de 87,5% das minhas mortes.

Cena comum, Wonderboy voltando à ação após ter sido brutalmente assassinado por uma criatura qualquer de jardim

Aqui, tudo que você mata se transforma em power-up de arma, você está constantemente trocando de arma, por que tipo… a sua ESPADA não serve como espada, mas sim como um lançador de projéteis mágicos, que podem ser desde bolinhas PEW PEW PEW até um MÍSSIL ou uma espécie de lança-bolas de fogo oriundo das profundezas.

Certo. Caminhando pela fase, matando caramujos e outros bichinhos de jardim, chego ao final da fase e nosso herói caminha para dentro de uma ossada de dragão, todo feliz e saltitante… vai entender. Agora a coisa muda, o jogo passa a ser uma espécie de shoot’em up, com o garoto maravilha montado em um dragão rosinha e sendo obrigado a atacar sequencias de inimigos até chegar ao big boss da fase.

Primeiro chefe é um peixão enfezado... rapid-fire nele!

Beleza, foi fácil, só morri umas 2 vezes… nessa parte do tirinho tem uma diferença na função das plaquetas coloridas. Aqui não tem frutinha pra pegar, então a barrinha não decái com o tempo, ela serve como um “life” para o bicho. Cada dano recebido deixa o figura vulnerável e com menos tabletes verdes, até finalmente morrer quando os tabletes acabam.

Rumo ao segundo estágio.

Essa era minha arma preferida... FLAME ON!

A segunda fase acontece em uma espécie de floresta tropical, o céu vermelho deve ser uma indicativa que estamos num belo fim de tarde comum. Aqui nós vamos enfrentar macacos, cobras e jacarés azúis. Enfim…

Aqui lembrei de R-Type

Bluh bluh bluh, tudo de novo, mas com uma dificuldade um pouco maior, chegamos no chefe, uma cobra tipo aquela do Toy Story que tem o corpo segmentado. A onda aqui é atirar em cada parte até ficar vermelho, quando o bicho todo estiver vermelho, vai explodir. Fácil.

Próxima! A caverna de lava.

Exactly.

Aqui a coisa começa a pegar. A experiência nas fases iniciais não prepara você para o que vem nesse estágio cavernoso. Aqui gastei meu primeiro dos 6 continues, morrendo para uns pokemons rosados que descem a ladeira na banguela e o meu tirinho inicial PEW PEW PEW não atinge tal altura.

DEATH, HORROR, PAIN.

Outra extrema falta de sacanagem são essas pedras OVERSIZED que descem e te obrigam a dar saltos precisos sobre elas, o problema é que – veja na imagem acima – logo atrás do pedregulho rolador vem uma dupla de TOUPEIRAS para te pegar… legal né?

Chefe morcegão não dá trabalho...

Cheguei no boss com zero vidas, mas passei fácil. O morcegóide fica pendurado movendo-se na vertical e mandando seus minions pra cima de quando em vez, basta mirar em seu CRÂNIO e seguir feliz.

A próxima fase vai te dar NÁUSEAS…

Dead again

Nesse mundo multi-colorido, é fácil morrer, esse simpático elefantinho azul atira uma espécie de pedra rasteira que te faz tropeçar em sua direção, provocando morte certa. Gastei mais um continue e muitas vidas nessa fase, inclusive aconteceu algo engraçado aqui:

Não sei como, mas acho que um salto mal calculado me fez cair na borda dessa plataforma, Wonder ficou lá pendurado sem reação, até ser esmagado pela tela impiedosa.

Para uma fase irritante, um chefe irritante, nada mais justo. Primeiro, uma colmeia que ataca com abelhas, no mesmo padrão dos chefes anteiores. Depois que a colmeia é destruída, um abelhão aparece, esse é mais chato de matar porque voa rápido e atira bastante. Paciência needed aqui.

Próxima fase… o que está faltando? Já teve floresta, caverna, mundo hippie… Ah sim, gelo!

Outra arma favorita, o lança-rosquinhas, ótima contra leões-marinhos

Aqui segue o mesmo esquema do mata bicho/pega fruta/salta plataforma, com a diferença que tudo é escorregadio e o salto – que já era difícil de controlar – fica 10x pior. Gastei mais um continue, só me restam 3 agora.

Chegamos no boss, depois de derreter umas dezenas de bonecos de neve voadores, e damos de cara com um monstro de gelo cujo coração é um bife congelado. Bem fácil mas muito demorado, me ceifou mais um continue esse maldito.

Seguindo para o mundo do deserto, onde minha jornada acaba.

Chegando aqui, os abutres começam a atacar da seguinte forma, eles vem voando no mais alto da tela e te espera passar por baixo deles, para efetuarem um RASANTE em grupo, dificil de escapar, já que existem outras coisas para se preocupar, como os cactos dançantes e os escorpiões… Menos um continue aqui, apertando START para usar minhas últimas 4 vidas.

Enfim, paz. O jogo acabou para mim, nesse momento tenho dores de cabeça e também no punho da mão direita, de tanto apertar o botão de tiro para matar hordas de bichinhos de jardim. Sinto se alguem tinha expectativa de ver o final desse jogo, mas eu desisto aqui.

Até o próximo FTW Challenge!

Sobre Matt
Em 2003 inventou de criar um fotolog de mini-resenhas de arcade (/pushstart) e acabou conhecendo um bando de problemáticos que gerou uma zine (OGZ), um blog de resnhas (FTW) e agora a fusão dos dois (OGZFTW).

4 Responses to FTW Challenge: Wonderboy III: Monster Lair (Mega Drive)

  1. Cosmão disse:

    Que jogo feio, pqp!
    Ainda não passei nem da segunda fase do Skulljager, provavelmente será outro fail..

  2. Lucas disse:

    legal que o cara voa num slowpoke…

  3. vitiinc disse:

    as capas do mega drive sao mt lindas -.-‘

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: