FTW# 7 Ghostbusters! tanananam, tanananãm….

Depois de muito tempo sem postar nada relacionado a tirinha, nosso ilustre desenhista Rodrigo Bobba Fett fez um crossover de PAC MAN e GHOSTBUSTERS! enjoy it!

pacman VS ghostbuster

Análise: Dynamite Dux (arcade/master system)

Game: DYNAMITE DUX
Plataforma: Arcade / master system
Gênero: Beat em up/porradinha/pancadaria
Ano: 1988(arcade) 1989 (master system)
Produtora: SEGA

dynamiteduxna1

Incoerência na capa do master system... nessa versão o pato é AZUL!

Ola amigos bitboylescos, vou falar agora de um jogo que costumava alugar muito no master system. Dynamite Dux (não confundir com Dynamite Duke, esse é outro jogo).

Leia mais deste post

Análise: B.O.B. (SNES)

B.O.B

B.O.B._Coverart

Produtora: Chris Gray Matter Entertainment Inc. (publicado pela Electronic Arts)
Ano: 1993
Jogadores: 1
Também para: Mega Drive, PSP (Coletânea EA Replay)

B.O.B. 0003

Postado por Jack T (JT)

BOB é um robô maldito que, ao emprestar o carango do pai pra sair com sua mina robótica, se chocou com um asteróide e acabou caindo num planeta bizarro, cheio de esquisitisses e PERÍGONOS.
Bom, BOB já vem equipado com um monte de armas e equipamentos, portanto, quem deve correr risco são os inimigos que forem aparecendo.
O jogo é de plataforma, até certo ponto caprichado, mas, vamos ver como a coisa vai ficar até o fim dessa BREVE análise.

foderam com o bom e velho BOB...

foderam com o bom e velho BOB...

Gráficos

O jogo tem gráficos bons, com uma extrema tara por tons AZULADOS, visto que por quase todo canto tem alguma coisa azul, seja brilhando, pulando, te fodendo, etc.
Suas armas básicas também são azuis, um tiro simples e um tiro triplo.

O design de fases fode demais, tudo é demasiadamente reaproveitado em quase todas as fases (pelo menos nas iniciais), seja o piso, inimigos ou obstáculos, é quase tudo repeteco do que já vimos em outras fases.
O jogo se desenrola por um mapinha inútil, já que é impossível explorá-lo, só serve pra mostrar seu avanço mesmo.

a utilidade desse mapa me supreende...

a utilidade desse mapa me supreende...

Acredito que o que chame a atenção no jogo seja mesmo a movimentação, tanto de inimigos como o próprio BOB, são muito bem desenhados e animados.

Jogabilidade, controles, som

BOB tem controles meio duros, principalmente quando se QUER SER ÁGIL.
Os inimigos, apesar do nosso robô ser bem armado, não dão trégua, atiram e pulam pra cima sem dó alguma.
Ae, quando resolvemos sair de perto ou dar algum ataque melee, vemos o robô dançando na tela e perdendo energia até morrer.
Sério, isso aconteceu duas vezes comigo!

BOB, quase tão engraçado como um BUBSY da vida...

BOB, quase tão engraçado como um BUBSY da vida...

Temos botões para pulo, tiro, um SOCO para ataques melee, um pra usar os equipamentos e dois botões pra trocar as armas e equipamentos.
BOB ainda pode subir escadas e se agachar pra evitar dano caso caia de lugares altos (sim, isso também tira energia ¬¬).

Armas e equipamentos de BOB

Temos alguns tipos de tiro, como os já citados normal e triplo, além de um lança-chamas e um lança-mísseis.
Não coletei mais armas no decorrer da dura tarefa de jogar o game, mas acredito que não deva ir tão além disso.

o negócio é TACAR FOGO EM TUDO

o negócio é TACAR FOGO EM TUDO

Os equipamentos de BOB permitem que ele realize algumas coisas nas fases, geralmente pra ajudar a sair de enrascadas ou alcançar itens em lugares mais altos.

Conjunto da OBRA

Geralmente (e isso deve ser o jogo INTEIRO), quem se arriscar a jogar isso, vai ter que se acostumar a ter a impressão de que as fases simplesmente se repetem sem muitas diferenças, parece uma enorme coleção de labirintos subterrâneos.

ei, olhe pra cá, seu cara de pastel :DDDDDDDDD

ei, olhe pra cá, seu cara de pastel :D:D:D:D:D (a mesma praçaa, o mesmo bancooo...)

Se BOB escapa ou não desse lugar, eu não sei, nem o que acontece depois, pois desisti de morrer inúmeras vidas já na quinta fase.
E eu falo: se até a quinta fase pouca coisa mudou, não é da sexta fase pra frente que a coisa vai melhorar: pode ser inclusive que piore, portanto, vamos deixar tudo como está :D.

Finalizando

BOB não é um game ruim, ele diverte, os equipamentos dele são divertidos de serem usados, são diversas armas e devem ser muitas fases.
O problema central do jogo é a repetição e talvez uma tentativa de humor forçado, robôzinho tentando ser engraçado cada vez que morre, etc.
É um jogo que, se fosse mais variado no tema, poderia ter tido mais sucesso.
Com bons gráficos, desafio acentuado e uma boa variedade de armas, o jogo pode até divertir, mas não espere muita coisa além disso.

pois é, a vida é dura, BOB...

pois é, a vida é dura, BOB...

NOTA: 5

Prós:
– armas em uma boa variedade
– movimentação bem feita do personagem
– equipamentos interessantes

Contras:
– fases muito iguais
– dificuldade desbalanceada em algumas etapas
– humor forçado em algumas cenas

Rapidinha: Super Gem Fighter (arcade)

Game: Super Gem Fighter: Mini Mix (Pocket Fighter no Japão)
Plataforma: Arcade CPS-2
Gênero: Luta
Ano: 1997
Produtora: Capcom

pocketfighter

Lançado em 1997 inicialmente para arcade, esse é um jogo de luta com os personagens da capcom em SD (super deformed, ou caricaturas tamanho anão) é bem divertido, e simples tambêm.

pocket-selecAlem dos 6 personagens selecionaveis de street fighter (ryu, chun li, ken, ibuki, zanguief e sakura) existia o DAN e o AKUMA como personagens secretos, sem contar a felicia, leilei e morrigan de DARKSTALKERS, e a tessa (?) de RED EARTH (?).

pocket3

O jogo de luta era bem simples, botões pra socos e chutes. O legal era que durante os combos os personagens iam mudando de roupa. Então viamos a chun li vestida de jill (resident evil), akuma usando roupa de natação, morrigam roupa de enfermeira, etc.

pocket-s2

O diferencial do jogo eram as pedras que caiam cada vez que você batia no adversario, juntando as pedras você ficava mais forte e podia soltar os especiais do jogo.

pocket_fighter_front

Devido ao sucesso, seu lançamento foi extendido ao playstation e outros consoles da época.

Análise: Street Fighter The Movie (Arcade)

Game: Street Fighter The Movie
Plataforma: Arcade
Gênero: Luta
Ano: 1995
Produtora: Capcom

Produzir um filme com atores reais baseado em Street Fighter foi uma idéia ruim, mas fazer o game baseado nesse filme foi uma idéia ainda pior. Pelo menos o jogo é melhor que o filme, se é que isso merece algum mérito.

sftm0008sftm0007sftm0001

Leia mais deste post

Análise: Psycho Fox (master system)

Game:  Psycho Fox
Plataforma: Master System
Gênero:  Aventura
Ano: 1989
Produtora: SEGA
Jogadores: 1

psychofox

Uma das melhores capas do master system

Psycho fox foi um jogo lançado em 1989 para o nosso querido Master System e foi considerado como um dos side-scrolling mais divertidos da sega.

Leia mais deste post

WTF: Judge Dredd (Arcade)

panda wtf

Postado por Jack T (JT)

Joguete: Judge Dredd
Sistema: Arcade
Quem cagou: Midway
Sofredores: até 3

Bom, como manda a tradição, resolvi me submeter à difícil tarefa de jogar um jogo BIZARRO, TOSCO, PÚTRIDO, DEMENTE, RUIM, PÉSSIMO, VISCOSO e BARROSO pra mostrar pra vocês que a indútria gamística às vezes EXAGERA um pouco.
O jogo em questão é baseado no filme homônimo, EL JUIZ.
O filme, que também não cheira bem, é estrelado por SILVESTER STALLONE, o RAMBO futurista, no qual ele interpreta o tal juiz que sai matando geral por conta da LEI.

tela título dessa bosta

tela título dessa bosta

Não sei a história do filme, não quero saber e que se foda quem sabe.
Vou falar do COMPUTER PROGRAM baseado nesse filme.
Sendo um PORRADA FRANCA, já imaginamos vários capangas pelas ruas, muita destruição e porrada pra todo lado.
Sim, temos tudo isso no game, E MUITO MAIS.

Leia mais deste post